Skip to content

Uganda avança para lançar seu primeiro satélite

Uganda avança para lançar seu primeiro satélite
Uma nova estação terrestre e uma rede de ensino expandida levarão ao lançamento de um satélite de observação de segurança da terra em 2022.

Uma nova estação terrestre e uma rede de ensino expandida levarão ao lançamento de um satélite de observação de segurança da terra em 2022.

Uganda está se aventurando no campo da tecnologia espacial, com o objetivo de lançar seu primeiro satélite em 2022. O projeto, anunciado pela primeira vez em 2019, deu um grande passo em frente com a aprovação do financiamento para uma estação terrestre perto de Kampala.

A estação, localizada na instalação de Mpoma, onde Uganda já possui duas antenas, servirá como centro de operações e comunicações para satélites lançados pelo governo e universidades. As antenas existentes estão associadas aos satélites do Oceano Atlântico e do Oceano Índico da Intelsat.

“O local foi escolhido porque já tinha alguma infraestrutura que o país vem usando para satélites internacionais de telecomunicações. Isso foi decidido para minimizar [o] custo do desenvolvimento de novas estruturas”, disse Elioda Tumwesigye, ministra da Ciência, Tecnologia e Inovação de Uganda.

Uganda já investiu recursos significativos para desenvolver a tecnologia. O país comprometeu US$ 2 milhões para tecnologia, pesquisa e desenvolvimento e outros US$ 200 mil para melhorar a infraestrutura em Mpoma.

Tumwesigye disse que o satélite e as instalações receberão apoio de financiamento de capacitação da Rússia e serão lançados da Ásia. “O satélite será lançado do Japão, mas será para Uganda”, disse ele.

Além disso, disse Tumwesigye, o país está trabalhando para estabelecer uma rede de educação em torno da tecnologia espacial; ele já envia engenheiros ugandenses para treinar em instalações no Japão. A Universidade Makerere de Kampala iniciou recentemente um programa de ensino em tecnologia espacial.

Segurança e Educação

Judith Nabakooba, ministra de Terras, Habitação e Desenvolvimento Urbano de Uganda, disse que Uganda se juntará à crescente lista de países africanos que lançaram satélites: Argélia, Angola, Egito, Etiópia, Gana, Quênia, Marrocos, Nigéria, Ruanda, África do Sul e Sudão.

Nabakooba disse que o programa de satélites abordará principalmente as preocupações de segurança nacional. “Não vamos jogar com tecnologia”, disse ela. “Temos certeza de que nossa defesa e segurança melhorarão através de recursos aprimorados para monitoramento e vigilância de movimentos que ultrapassam as fronteiras para o país.”
Em seu discurso de 2021 sobre o estado da união, o presidente de Uganda, Yoweri Museveni, também priorizou os benefícios de segurança de um satélite. Ele disse que Uganda está preocupada em estabilizar a segurança na África Oriental.

O presidente também enfatizou os benefícios educacionais de um programa espacial, apontando para o novo programa de tecnologia espacial na Faculdade de Engenharia, Design, Arte e Tecnologia da Universidade Makerere e a possibilidade de estabelecer um acampamento espacial em Uganda.

“Pedi aos meus funcionários que trabalhassem em estreita colaboração com [a] Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear(CERN)na Suíça em relação a este programa. Isso criará uma oportunidade para ter um acampamento espacial em Uganda”, disse Museveni. Idealmente, explicou, os tutores do CERN treinariam estudantes ugandenses no acampamento.

Investindo em Uganda

Nabakooba também ressaltou a possibilidade de aumentar o investimento do setor privado em ciência espacial, tecnologia e pesquisa e inovação, incluindo investimento estrangeiro direto e colaborações.

A ciência espacial é nova em Uganda, e vamos procurar trabalhar com países estrangeiros, incluindo Japão, Rússia e Israel, entre outros que já são desenvolvidos com alta tecnologia e já implementaram a ciência espacial antes, para que possamos trocar conhecimento e usar suas pesquisas como [uma] referência para melhorar a nossa”, disse ela.

O empreendimento por satélite também ajudará a melhorar as previsões meteorológicas usadas pela Autoridade de Aviação Civil de Uganda (UCAA),acrescentou Chris Nsamba, diretor executivo e fundador do Programa africano de pesquisa espacial.

“Com a mudança climática, às vezes o clima imprevisível tem atrasado alguns voos do Aeroporto Internacional de Entebbe. Mas com o satélite, a UCAA terá previsões meteorológicas mais precisas para permitir que os voos decolem e aterrissem no horário programado”, disse ele.

FonteEOS 

Compartilhe


Inscreva-se a nossa newsletter e fique atualizado sobre noticias e novidades!


Publicado por:
Leia fatos científicos, não ficção... Nunca houve um momento mais importante para valorizar o conhecimento baseado em evidências e apresentar os avanços científicos e tecnológicos.

Regdanvimab promissora terapia de anticorpos para tratamento de pacientes com coronavírus

Cientistas descobrem uma nova classe de células de memória no cérebro

Uma rede artificial mantida na ‘Borda do Caos’ age como um cérebro humano

Deixe uma resposta


Nome de usuário ou senha incorretos. Perdeu a senha?

Você precisa fazer o login para publicar um comentário. Não tem conta?