Skip to content

Hackers do SolarWinds acessaram código-fonte da Microsoft

Hackers do SolarWinds acessaram código-fonte da Microsoft
Microsoft revela que hackers SolarWinds acessaram seu código-fonte, os hackers por trás do ataque cibernético massivo em redes do governo dos EUA também conseguiram

Microsoft revela que hackers SolarWinds acessaram seu código-fonte, os hackers por trás do ataque cibernético massivo em redes do governo dos EUA também conseguiram invadir a Microsoft e visualizar alguns de seus códigos-fonte, revelou a empresa.

A equipe de segurança da Microsoft disse na quinta-feira que sua investigação sobre o devastador hack do SolarWinds revelou atividades secretas em seus repositórios centrais de software, onde mantém o texto oficial de seu software.

Ele disse que não encontrou nenhuma evidência de sistemas da Microsoft sendo usados ​​para atacar outra pessoa, e que seus programas são projetados para permanecer seguros mesmo se o invasor já tiver acesso ao seu código.

Mesmo assim, a onipresença dos produtos da Microsoft em escritórios em todo o mundo e o uso generalizado de seu serviço de segurança por empresas, políticos e agências governamentais levanta questões preocupantes sobre os objetivos de longo prazo dos hackers.

Isso ocorre depois que um comitê do Senado dos EUA revelou que espiões ocidentais atribuíram o ataque a um grupo apoiado pela Rússia, apelidado de grupo “Cozy Bear”, pode ter começado antes de março de 2019.

Pelo menos seis agências governamentais dos Estados Unidos e milhares de empresas, incluindo Deloitte e Cisco, foram comprometidas usando uma lacuna no software feita pela SolarWinds (empresa com sede no Texas que opera redes de computadores em todo o mundo).

A Microsoft disse : “Nossa investigação em nosso próprio ambiente não encontrou nenhuma evidência de acesso aos serviços de produção ou dados do cliente… [e] nenhuma indicação de que nossos sistemas foram usados ​​para atacar terceiros…”

Relatórios indicam que os hackers roubaram dados durante nove meses, conseguiram interceptar e-mails e até mesmo desparecer com ferramentas customizadas usadas pela firma de segurança cibernética FireEye para testar as defesas de seus clientes.

O Ministério da Defesa britânico, The Home Office, o GCHQ e alguns fundos do NHS também usaram o software SolarWinds, há uma investigação para ver se eles foram os alvos.

O novo presidente dos EUA, Joe Biden, sugeriu que pode lançar ataques cibernéticos de retaliação contra a Rússia, como fez seu antecessor Donald Trump em resposta à intromissão russa durante as eleições de meio de mandato de 2018 nos Estados Unidos.

Inscreva-se a nossa newsletter e fique atualizado sobre noticias e novidades!


Publicado por:
Apaixonado por ciência e tecnologia além de programação é claro! Fundador do site Science Tech News.

China quer erradicar o Bitcoin e outras moedas digitais

Tiktok diz que seus usuários são mais engajados que do Youtube

Robô do tamanho de insetos navega em labirintos com a agilidade de um guepardo

Deixe uma resposta


Nome de usuário ou senha incorretos. Perdeu a senha?

Você precisa fazer o login para publicar um comentário. Não tem conta?