Skip to content

Menor réptil do mundo: o nano-camaleão

Menor réptil do mundo: o nano-camaleão
Descubra o menor réptil do mundo: o ‘nano-camaleão’ Esta nova espécie tem um comprimento corporal de apenas 13,5 milímetros e um comprimento total de

Descubra o menor réptil do mundo: o ‘nano-camaleão’

  • Esta nova espécie tem um comprimento corporal de apenas 13,5 milímetros e um comprimento total de quase 22 milímetros
  • Foi encontrado no norte da ilha de Madagascar, leste da África
  • É o menor réptil entre as quase 11.500 espécies conhecidas no mundo.

Menor réptil do mundo: o nano-camaleão
Menor réptil do mundo: o nano-camaleão

menor réptil do mundo pode acomodar-se na ponta do seu dedo. Ele é conhecido como Brookesia nana, ou “nano-camaleão”, e é um lagarto com manchas marrons que normalmente não ultrapassa os 2,5 centímetros de comprimento.

Uma equipe internacional de pesquisadores anunciou nesta sexta-feira ter descobertoum “nano-camaleão”, uma nova espécie de camaleão que se confirmou ser o menor réptil entre as quase 11.500 espécies conhecidas no mundo.

Esta nova espécie de camaleão (Brookesia nana) foi encontrada no norte da ilha de Madagascar (leste da África) por uma equipe de pesquisadores alemães-malgaches liderados pela Coleção Zoológica do Estado de Munique (ZSM).

“Infelizmente, o habitat do nano-camaleão é muito afetado pelo desmatamento, mas a área foi recentemente colocada sob proteção para que a espécie sobreviva”, disse o cientista do Centro de História Natural de Hamburgo Oliver Hawlitschek, que participa da pesquisa.

A fêmea é significativamente maior, com um comprimento corporal de 19 milímetros e um comprimento total de 29, o macho com um comprimento corporal de apenas 13,5 milímetros e um comprimento total de quase 22 milímetros é o menor conhecido entre todos os vertebrados superiores”, explicou o pesquisador da ZSM e primeiro autor do estudo, Frank Glaw, em um comunicado.

Compartilhe


Inscreva-se a nossa newsletter e fique atualizado sobre noticias e novidades!


Publicado por:

Aumento do CO2 na Amazônia pode afetar mais as chuvas do que o desmatamento

Dinâmica climática global impulsionou o declínio de mastodontes e elefantes, sugere novo estudo

Como as plantas se adaptam rapidamente às mudanças nas condições ambientais

Deixe uma resposta


Nome de usuário ou senha incorretos. Perdeu a senha?

Você precisa fazer o login para publicar um comentário. Não tem conta?