Skip to content

Novo processo de reciclagem de plástico baseado em solventes pode reduzir milhões de toneladas de resíduos plásticos

Novo processo de reciclagem de plástico baseado em solventes pode reduzir milhões de toneladas de resíduos plásticos
Os materiais plásticos multicamadas são onipresentes nas embalagens de alimentos e suprimentos médicos, particularmente porque suas propriedades específicas dão alta flexibilidade, tornando os produtos

Os materiais plásticos multicamadas são onipresentes nas embalagens de alimentos e suprimentos médicos, particularmente porque suas propriedades específicas dão alta flexibilidade, tornando os produtos desenvolvidos com este material mais resistentes à ruptura.

O polímero é a matéria-prima básica na fabricação de plásticos de qualquer natureza e finalidade, contribuindo com diversas vantagens para o setor médico-hospitalar.

Cerca de 100 milhões de toneladas de termoplásticos multicamadas, cada um composto de até 12 camadas de polímeros variados são produzidos globalmente a cada ano. Quarenta por cento desse total são resíduos do próprio processo de fabricação e como não há forma de separar os polímeros, quase todo esse plástico vai parar em aterros ou incineradores.

Cerca de 2% de todos os plásticos são reciclados, 40% vão para aterros, 32% vazam para o meio ambiente, 14% são queimados para obter energia.

Agora engenheiros da Universidade de Wisconsin-Madison conseguira pela primeira vez recuperar polímeros nesses materiais usando solventes, com novo método revolucionário, esse novo processo de reciclagem de plástico baseado em solventes pode reduzir milhões de toneladas de resíduos plásticos.

A técnica que eles chamaram de processamento de recuperação e precipitação direcionada por solvente (STRAP). Sua prova de conceito é detalhada na revista Science Advances.

Usando uma série de lavagens com solvente guiadas por cálculos termodinâmicos de solubilidade do polímero, os professores de engenharia química e biológica da UW-Madison George Huber e Reid Van Lehn e seus alunos usaram o processo STRAP para separar os polímeros em um plástico comercial composto de materiais de estratificação comuns como polietileno, álcool vinílico de etileno e tereftalato de polietileno.

O resultado? Os polímeros separados parecem quimicamente semelhantes aos usados ​​para fazer o filme original.

A equipe agora espera usar os polímeros recuperados para criar novos materiais plásticos, demonstrando que o processo pode ajudar a fechar o ciclo de reciclagem. Em particular, pode permitir que os fabricantes de plástico multicamadas recuperem 40% dos resíduos plásticos produzidos durante os processos de produção e embalagem.

“Demonstramos isso com um plástico multicamada, precisamos experimentar outros plásticos multicamadas e precisamos escalar essa tecnologia.” diz Huber.

A equipe continua suas pesquisas sobre o processamento de STRAP por meio do recém-criado Centro Multiuniversitário de Reciclagem Química de Resíduos de Plásticos, dirigido por Huber. Os pesquisadores do centro financiado pelo Departamento de Energia dos Estados Unidos receberam US$ 12,5 milhões para o projeto, que ainda verifica outras formas químicas para recuperação e reciclagem de polímeros.

Esta pesquisa foi apoiada pelo Centro de Pesquisa de Bioenergia dos Grandes Lagos , Departamento de Energia dos EUA, Escritório de Ciência, Escritório de Pesquisa Biológica e Ambiental sob os números de prêmio DE-SC0018409.

Inscreva-se a nossa newsletter e fique atualizado sobre noticias e novidades!


Publicado por:

Usuários do LinkedIn são alvo de campanha projetada para instalar Malware em seus dispositivos

EUA aprova teste para gerar energia de ondas do mar conectada à rede elétrica em larga escala

Trump está criando rede social para concorrer com o Twitter e Facebook

Deixe uma resposta


Nome de usuário ou senha incorretos. Perdeu a senha?

Você precisa fazer o login para publicar um comentário. Não tem conta?