Skip to content

Starlink quer levar 40.000 satélites da SpaceX para o espaço e os astrônomos não estão gostando da ideia

Starlink quer levar 40.000 satélites da SpaceX para o espaço e os astrônomos não estão gostando da ideia
Os satélites da SpaceX são uma “pedra no sapato” para a astronomia, o programa Starlink quer levar mais de 40.000 elementos em órbita que

Os satélites da SpaceX são uma “pedra no sapato” para a astronomia, o programa Starlink quer levar mais de 40.000 elementos em órbita que vão dificultar a visão de outros objetos no espaço.

Um dos projetos ambiciosos da empresa espacial SpaceX se chamase Starlink que busca fornecer conexão mundial à Internet através de satélites. A iniciativa está em plena implantação: a empresa de Elon Musk lançou milhares de unidades no ano passado, os testes entre usuários já começaram no norte dos Estados Unidos e espera alcançar mais regiões até 2021. Mas essa proposta, a princípio atraente e benéfica, tem seu lado controverso: os astrônomos estão começando a protestar contra o avanço dessa tecnologia que, segundo eles, põe em risco futuras descobertas no espaço.

Em agosto de 2020, um grupo de especialistas em astronomia emitiu avisos. Em um relatório apresentado durante um seminário virtual, eles observaram que as grandes constelações existentes e planejadas de satélites brilhantes em órbita baixa da Terra mudarão fundamentalmente a observação astronômica na região espectral do infravermelho próximo”. Especificamente, o problema é que durante as horas noturnas, esses elementos flutuantes refletem a luz solar e dificultam a observação da Terra.

Science Tech News
Os astrônomos levantaram sua preocupação com o lançamento de uma frota de novos satélites, pois obstruíriam sua visão do universo.

Em resposta a essas críticas, a SpaceX modificou seus satélites para reduzir a reflexividade. No entanto, a medida não satisfez totalmente os cientistas. Porque a SpaceX aplicou uma camada especial de tinta e desde então os chamavam de “satélites escuros”. Eles também têm a peculiaridade de ter uma viseira que impede a luz solar de bater e refletir os pontos mais brilhantes da espaçonave.

Inicialmente, o próprio Elon Musk havia prometido que essa iniciativa não atrapalharia o trabalho dos astrônomos.

As reclamações continuam

De acordo com o site Gizmodo, além das mudanças feitas pela empresa de Musk, especialistas em astronomia dizem que o uso dessa tinta para nos satélites não é uma medida suficiente. Um estudo recente analisou o comportamento das diferentes versões divulgadas com base na exploração astronômica, chegando a essa conclusão.

Como indicado, satélites escuros proporcionam vantagens na observação da região ultravioleta, a adição de tinta causa um aumento na temperatura da superfície desses elementos gerando inconvenientes na exploração que emprega comprimentos intermediários de ondas infravermelhas.

Os esforços da SpaceX tornaram os satélites meio brilhantes em relação à versão anterior, de acordo com a pesquisa publicada no The Astrophysical Journal. Essa é melhor, mas não é boa o suficiente, você pode ver os especialistas liderados por Takashi Horiuchi do Observatório Astronômico Nacional do Japão.

“A tinta que escurece em DarkSat certamente reduz pela metade o reflexo da luz solar em comparação com os satélites Starlink padrão, mas o impacto negativo nas observações astronômicas ainda permanece”, disse Horiuchi ao Physics World.

Especialistas dizem que uma possível solução seria modificar a órbita operacional dos satélites Starlink, que estão a cerca de 550 quilômetros de distância do nosso planeta. Se viajassem mais, a interferência dessas constelações artificiais seria menor.

Veja também: Satélites de madeira, a proposta japonesa de espaço mais limpo

Espera-se que a SpaceX lance uma nova versão de seus satélites, que são apelidados de “VisorStats”, embora não se saiba qual será o impacto desses modelos em observações astronômicas.

Compartilhe


Inscreva-se a nossa newsletter e fique atualizado sobre noticias e novidades!


Publicado por:
Apaixonado por ciência e tecnologia além de programação é claro! Fundador do site Science Tech News.

China quer erradicar o Bitcoin e outras moedas digitais

Tiktok diz que seus usuários são mais engajados que do Youtube

Planetas com a massa da Terra estão à deriva na Via Láctea

Deixe uma resposta


Nome de usuário ou senha incorretos. Perdeu a senha?

Você precisa fazer o login para publicar um comentário. Não tem conta?