Skip to content

Interferência ou sinal de E.T. de Proxima Centauri?

Interferência ou sinal de E.T. de Proxima Centauri?
No mês de dezembro houve uma grande expectativa sobre um sinal que era emitido da Proxima Centauri o que provavelmente era apenas uma interferência.

No mês de dezembro houve uma grande expectativa sobre um sinal que era emitido da Proxima Centauri o que provavelmente era apenas uma interferência.

O relatório publicado pela space.com de que um misterioso sinal de rádio parecia ter vindo das proximidades de Proxima Centauri, ( Proxima Centauri é o sistema estrelar mais próxima da Terra) deixou o mundo com grandes expectações.

Proxima Centauri, que está a apenas 4,2 anos-luz de nós, é conhecida por hospedar dois planetas. Um desses dois mundos, Proxima b, é um pouco mais massivo que a Terra e pode ser capaz de suportar a vida como a conhecemos.

Science Tech News
O radiotelescópio Parkes é um ícone da ciência australiana, e uma parte do Australia Telescope National Facility. (Crédito da imagem: Parkes Radio Telescope/Australia Telescope National Facility)

A detecção foi realizada usando o radiotelescópio Parkes na Austrália, chamando o sinal BLC1 de “Candidato de Escuta Inovadora 1”. O estudo faz parte do projeto Breakthrough Listen, do grupo Breakthrough Initiatives.

A NASA se juntou a iniciativa para buscar alienígenas inteligentes, os cientistas que trabalham na missão Transiting Exoplanet Survey Satellite (TESS) da agência espacial colaborarão com o projeto Breakthrough Listen, com orçamento de US$ 100 milhões na busca por inteligência extraterrestre (SETI).

Porque foi criado o projeto Breakthrough Initiatives?

O TESS foi lançado à órbita da Terra em abril de 2018, em uma missão para caçar planetas alienígenas circulando estrelas brilhantes e relativamente próximas. A espaçonave faz este trabalho através do “método de trânsito”, que procura leves quedas no brilho das estrelas causadas quando um planeta em órbita cruza o rosto da estrela da perspectiva do TESS.

Essa estratégia foi usada com sucesso pelo antecessor do TESS, o telescópio espacial Kepler da NASA, que descobriu cerca de 70% dos 4.000 ou mais conhecidos mundos alienígenas. A expectativa é que o TESS seja ainda mais produtivo, encontrando talvez 10.000 ou mais novos exoplanetas ao longo de sua missão primária de dois anos, disseram os membros da equipe.

A enorme quantidade de planetas descobertos e há descobrir chamou a atenção de Yuri Milner, que é investidor de ciência/tecnologia e filantropo que fundou a organização Breakthrough Initiatives que trabalhará nas observações e análises astronômicas, o mais abrangente já realizado na busca de evidências de civilizações tecnológicas no universo.

Este mês Simon Peter diretor executivo da Breakthrough Initiatives, concedeu uma entrevista para o site space.com e comentou sobre o anúncio do sinal divulgado em dezembro e citou os projetos que a Breakthrough trabalhará:

  1. Os trabalhos do BLC1
  2. A busca por “tecnoassinaturas” alienígenas de forma mais geral;
  3. Os protocolos para anunciar uma detecção de ET;
  4. O sobre as perspectivas de vida em Vênus, no projeto da Breakthrough Initiatives.

Quais são as novidades sobre o suposto sinal Proxima Centauri?

Para quem estava com expectativa de um sinal extraterrestre, as notícias não foram boas, Simon disse “estamos praticamente certos de que foi interferência”. Em geral, estamos aprendendo o que esperamos ver em termos de uma tecnoassinatura, completou.

A informação do sinal de Proxima Centauri divulgada para a mídia teve bastante repercussão e por isso a equipe do projeto está criando novos protocolos para lidar com a divulgação de informações.

Compartilhe


Inscreva-se a nossa newsletter e fique atualizado sobre noticias e novidades!


Publicado por:

Usuários do LinkedIn são alvo de campanha projetada para instalar Malware em seus dispositivos

EUA aprova teste para gerar energia de ondas do mar conectada à rede elétrica em larga escala

Trump está criando rede social para concorrer com o Twitter e Facebook

Deixe uma resposta


Nome de usuário ou senha incorretos. Perdeu a senha?

Você precisa fazer o login para publicar um comentário. Não tem conta?