Skip to content

Casa Branca divulgou uma estratégia para evitar a contaminação terrestre e de outros mundos

Casa Branca divulgou uma estratégia para evitar a contaminação terrestre e de outros mundos
Considerando os avanços científicos e o aumento das agências privadas na exploração espacial, a Casa Branca divulgou uma estratégia nacional de proteção planetária no

Considerando os avanços científicos e o aumento das agências privadas na exploração espacial, a Casa Branca divulgou uma estratégia nacional de proteção planetária no dia 30 de dezembro, delineando novas avaliações para evitar a contaminação terrestre a partir de missões em outros mundos e vice-versa.

A Casa Branca está preocupada com a quantidade de missões que estão sendo lançadas anualmente e os perigos que elas podem trazer para o nosso planeta, e uma dessas preocupações é a contaminação.

A Estratégia Nacional de Proteção Planetária, desenvolvida por um grupo de trabalho interagências liderado pelo Conselho Nacional do Espaço e Escritório de Política de Ciência e Tecnologia (OSTP),descreve o trabalho a ser feito ao longo do próximo ano para atualizar as políticas de proteção planetária.

A estratégia é projetada para implementar uma parte da Política Espacial Nacional atualizada, lançada em 9 de dezembro, que pede ao OSTP em cooperação com a NASA e outras agências para desenvolver novas diretrizes de proteção planetária, “trabalhando com parceiros científicos, comerciais e internacionais para a proteção adequada dos corpos planetários e da Terra contra contaminação biológica prejudicial”.

Science Tech News
Casa Branca divulgou uma estratégia para de evitar a contaminação terrestre de outros mundos

“Missões atuais e futuras a Marte e outros destinos precisam de uma estratégia para apoiar um ambiente terrestre e espacial seguro, sustentável e previsível”, disse Scott Pace, secretário executivo do Conselho Espacial Nacional em um comunicado.

A estratégia de proteção planetária tem três objetivos gerais.

  1. Criar uma “avaliação de risco e diretrizes baseadas na ciência” para mitigar o que é conhecido como “contaminação direta” ou contaminação de outros mundos pela vida terrestre. Também orienta uma avaliação do papel da proteção planetária no processo de revisão da carga útil do governo para missões privadas.
  2. Evitar a “contaminação retroativa” ou potencial contaminação da Terra por qualquer vida extraterrestre. A estratégia orienta as agências a desenvolverem formas para avaliar os riscos de missões de retorno de amostras e outras fontes de contaminação retroativa, bem como uma organização para aprovação de tais missões e procedimentos para manuseio seguro de materiais trazidos de fora da Terra.
  3. Incorporar as visões do setor privado sobre as questões de proteção planetária, com o crescente aumento de interesse nas missões interplanetárias de agências privadas, principalmente em Marte. Esse objetivo inclui o trabalho do governo para desenvolver diretrizes que dão autorização de supervisionar missões do setor privado.

A estratégia não define nenhuma nova política, é uma definição de como serão tratadas essas questões no próximo ano. “Na verdade, é um plano de trabalho”, disse um funcionário do governo falando em segundo plano.

A proteção planetária tem sido tradicionalmente um problema para a NASA. A agência tem trabalhado para atualizar suas próprias políticas de proteção planetária, com base nas recomendações feitas por um conselho de revisão independente no ano passado. Em julho, a NASA anunciou que estava emitindo novas instruções provisórias para reclassificar a maior parte da lua em uma categoria inferior que não tem requisitos de proteção planetária e tornar as diretrizes de proteção planetária compatíveis com futuras missões humanas a Marte.

A estratégia também busca alavancar a expertise de outras agências. O grupo de trabalho interagências incluiu vários departamentos ao nível de gabinete, desde Agricultura e Saúde e Serviços Humanos até Comércio e Estado. Também incluiu os Centros de Controle de Doenças, Agência de Proteção Ambiental e Administração Federal de Aviação, entre outros.

Muitos deles foram trazidos para apoiar o trabalho de contaminação retroativa. “É uma grande oportunidade de trazer departamentos e agências que podem não ter trabalhado juntos nesta questão historicamente”, disse um funcionário do governo, “mas estão muito animados em fazê-lo agora”.

A estratégia de proteção planetária é parte de uma onda de atividades de política espacial realizadas pela Casa Branca nas semanas finais do governo Trump. Além da Política Espacial Nacional atualizada, a Casa Branca divulgou uma estratégia nuclear espacial em 16 de dezembro, delineando políticas relacionadas as questões para o desenvolvimento de energia nuclear e capacidades de propulsão.

Inscreva-se a nossa newsletter e fique atualizado sobre noticias e novidades!


Publicado por:
Apaixonado por ciência e tecnologia além de programação é claro! Fundador do site Science Tech News.

Usuários do LinkedIn são alvo de campanha projetada para instalar Malware em seus dispositivos

EUA aprova teste para gerar energia de ondas do mar conectada à rede elétrica em larga escala

Trump está criando rede social para concorrer com o Twitter e Facebook

Deixe uma resposta


Nome de usuário ou senha incorretos. Perdeu a senha?

Você precisa fazer o login para publicar um comentário. Não tem conta?