Skip to content

Por que Júpiter não se tornou uma estrela de verdade?

Por que Júpiter não se tornou uma estrela de verdade?
Júpiter é o maior e mais massivo planeta do nosso sistema solar, suas temperaturas e pressões imensamente altas. Sua massa é de quase o

Júpiter é o maior e mais massivo planeta do nosso sistema solar, suas temperaturas e pressões imensamente altas. Sua massa é de quase o dobro da massa combinada de todos os outros planetas do nosso sistema. Além disso, a atmosfera de Júpiter é composta principalmente de hidrogênio e hélio que são os mesmos elementos que alimentam nosso Sol.

Depois que o Sol se formou, Júpiter se derivou consumindo a maior parte do material restante. Por isso é feito de todos os elementos certos para formar uma estrela.

Esta tabela mostra o quão próxima e a composição de Júpiter corresponde à do Sol:

ParâmetroSolJúpiter
Composição 71% hidrogênio
27% hélio
2% outros elementos
75% hidrogênio
24% hélio
1% outros elementos
Testemunho Tão quente que os átomos se dividem em elétrons e prótonsNúcleo metálico líquido

Com esses dados é compreensível imaginar que Júpiter poderia ter se tornado uma estrela como o nosso sol.

Mas primeiro precisamos entender qual é realmente a diferença entre um grande planeta e uma pequena estrela?
A recente descoberta de planetas massivos em torno de outras estrelas geram muitos debates sobre esse assunto. Alan P. Boss, do Carnegie Institution of Washington, é um dos teóricos que está tentando esclarecer quais corpos se qualificam como planetas e quais são as chamadas “anãs marrons”, objetos menores que estrelas, mas fundamentalmente diferentes de planetas. Ele responde à pergunta da seguinte maneira:

Quase todos os cientistas que estudam a formação dos planetas acreditam que Júpiter se formou de uma maneira muito diferente da forma das estrelas.

As estrelas se formam diretamente do colapso de densas nuvens de gás interestelar e poeira. Devido à rotação, essas nuvens formam discos achatados que circundam as estrelas centrais em crescimento. Depois que a estrela quase atingiu sua massa final, ao acumular gás do disco, a matéria restante no disco fica livre para formar planetas.

Acredita-se que Júpiter se formou em um processo de duas etapas.

  1. Primeiro, uma abundantemente quantidade de gelo e rocha ‘planetesimais’ formaram dois corpos do tamanho de um cometa e colidiram unindo-se em embriões planetários cada vez maiores.
  2. Depois que um embrião se tornou tão massivo como dez Terras, sua autogravidade tornou-se forte o suficiente para puxar o gás diretamente do disco. Durante esta segunda etapa, o proto-Júpiter ganhou a maior parte de sua massa atual (318 vezes a massa da Terra).

Depois o gás do disco foi removido pelo intenso vento solar inicial, antes que Saturno pudesse atingir um tamanho necessário.

Então apesar de Júpiter ser composto dos mesmos elementos (hidrogênio e hélio) como o Sol, não tem massa o suficiente para ter a pressão interna e a temperatura necessárias para fazer com que o hidrogênio se funda ao hélio, a fonte de energia que alimenta o Sol e a maioria das outras estrelas.

Science Tech News
Brown Dwarf Weather (Artist’s Concept)

Júpiter não pode se tornar uma estrela anã marrom?

Atualmente Júpiter esta longe disso, sua massa é muito baixa para uma anã marrom, ele precisaria de muita massa adicional para se tornar uma estrela, ele precisaria absorver massa e ficar entre 13 a 75 vezes mais massivo, será chamado de anã marrom.

Qual o adicional de massa precisaria para que Júpiter se tornasse um sol?

Corpos celestiais menores que Júpiter se tornaram estrelas porque têm massa suficiente para iniciar reações termonucleares. Mas Júpiter precisaria de 1.000 vezes mais massa do que tem atualmente.

Como nosso sistema solar teria sido e o que poderia ter acontecido se Júpiter fosse uma estrela?

  1. Júpiter como estrela perturbaria o delicado equilíbrio gravitacional das órbitas dos planetas, aumentando a possibilidade de que se colidirem ou deixassem o sistema solar completamente.
  2. Se Júpiter se tornasse uma anã vermelha, nada na Terra seria dramaticamente afetado porque Júpiter está quatro vezes mais longe da Terra do que o Sol.
  3. A única mudança que realmente aconteceria é o número de asteroides do cinturão de asteroides que teria sido interrompido devido à massa e gravidade recém-alcançadas por Júpiter.
  4. Com 1.000 vezes mais massa, no entanto, Júpiter se tornaria uma estrela como o nosso sol,  isso iria interromper a harmonia coletiva das órbitas atuais dos planetas.
  5. Outra probabilidade seria sua gravidade arremessar asteroides que circulassem sua área para outros planetas, principalmente durante a formação do sistema solar, isso poderia ter mudado tudo da forma que conhecemos.
  6. Possivelmente haveria variações nos ventos solares, mas é difícil de prever.
Science Tech News
Se Júpiter fosse uma estrela perturbaria o delicado equilíbrio gravitacional das órbitas dos planetas

Pensando no equilíbrio das órbitas dos planetas em nosso sistema, então é melhor que ele tenha ficado como está!

Compartilhe


Inscreva-se a nossa newsletter e fique atualizado sobre noticias e novidades!


Publicado por:

Planetas com a massa da Terra estão à deriva na Via Láctea

Regdanvimab promissora terapia de anticorpos para tratamento de pacientes com coronavírus

Cientistas descobrem uma nova classe de células de memória no cérebro

Deixe uma resposta


Nome de usuário ou senha incorretos. Perdeu a senha?

Você precisa fazer o login para publicar um comentário. Não tem conta?