Skip to content

Reino Unido vai criar a maior zona de proteção marinha totalmente protegida do mundo

Reino Unido vai criar a maior zona de proteção marinha totalmente protegida do mundo
Conheça os planos do Reino Unido para criar a 4ª maior reserva marinha totalmente protegida do mundo no arquipélago de Tristão da Cunha que

Conheça os planos do Reino Unido para criar a 4ª maior reserva marinha totalmente protegida do mundo no arquipélago de Tristão da Cunha que ajudará a salvar biodiversidade única desta região.

Tristão da Cunha é um arquipélago remoto no Oceano Atlântico Sul que fornece habitat para muitas espécies ameaçadas de extinção, como Pinguins do Norte e Albatroz de Nariz Amarelo. Dia 13 de novembro de 2020, o Conselho da Ilha de Tristão da Cunha anunciou que avança com os planos para a criação de uma enorme zona de proteção marinha em torno do arquipélago que irá proteger espécies desta região.

Esta zona de proteção marinha cobrirá uma área com mais de 687.000 quilômetros quadrados, o que representa cerca de 91% das águas ao redor de Tristão da Cunha, de acordo com um comunicado divulgado pelo The Pew Charitable Trusts. Dentro desta zona, atividades potencialmente prejudiciais, como extrações minerais industriais, serão proibidas, os navios de carga serão obrigados manter uma distância de 46 km no entorno de cada uma das ilhas.

Science Tech News
Zona de proteção de Tristão da Cunha

O arquipélago remoto abriga a maior colônia de reprodução de pinguins do norte, que são espécies ameaçadas de extinção. Além disso, as Baleias de Bico de Pastor, baleias comuns frequentam as águas ao redor das ilhas, albatrozes do Tristão (ameaçados de extinção),  Albatrozes de Nariz Amarelo do Atlântico (perigo de extinção).

De acordo com o Pew, a ilha mais ao sul abriga 80% da população mundial de focas subantárticas e uma colônia de Elefantes Marinhos também reside nesta ilha.

Tristão da Cunha é um dos vários territórios ultramarinos do Reino Unido. Com a adição desta nova zona protegida, 42% de todo o território ultramarino do Reino Unido estará protegido. É esperado que todo processo legislativo esteja pronto em 2021.

Áreas marinhas protegidas geridas de forma adequada podem levar a muitos benefícios, incluindo o aumento da biodiversidade e melhorias no tamanho e abundância de espécies de peixes e crustáceos, economicamente importantes. Em 2016, a União Internacional para a Conservação da Natureza ( IUCN ) aprovou uma meta proteção dos oceanos de 30% até 2030.

Segundo Dona Bertarelli do Projeto Pew Bertarelli Ocean Legacy que ajudará no gerenciamento da nova zona de proteção marinha em Tristão da Cunha, a nova reserva representa um passo significativo para atingir essa meta.

Inscreva-se a nossa newsletter e fique atualizado sobre noticias e novidades!


Publicado por:
Apaixonado por ciência e tecnologia além de programação é claro! Fundador do site Science Tech News.

Como os insetos que mudam a vida estão remodelando a pesquisa de envelhecimento

Indígenas na Amazônia usam dados de satélite, smartphones, drones para combater a exploração madeireira ilegal

Jardins domésticos são vitais para abelhas e outros polinizadores

Deixe uma resposta


Nome de usuário ou senha incorretos. Perdeu a senha?

Você precisa fazer o login para publicar um comentário. Não tem conta?