Skip to content

Argila de Marte sugere que o planeta pode ter sido habitável por até um milhão de anos

Argila de Marte sugere que o planeta pode ter sido habitável por até um milhão de anos
A argila coletada da Cratera Gale em Marte pela Curiosidade da NASA em 2016 contém restos de um mineral que sugere que o antigo

A argila coletada da Cratera Gale em Marte pela Curiosidade da NASA em 2016 contém restos de um mineral que sugere que o antigo lago na Cratera pode ter tido condições adequadas para a vida.

Pesquisadores, incluindo os da Universidade de Vigo, na Espanha, analisaram amostras da cratera e descobriram que os minerais de argila estão estruturalmente e composicionalmente relacionados a argilas glauconitárias.

Glauconitic é encontrado na Terra e é um mineral filossilicato de potássio de ferro de cor verde característica.

Sua presença no Planeta Vermelho sugere que o mundo marciano já teve condições estáveis com temperaturas de 26 graus a 123 graus Fahrenheit e a água dentro de Gale tinha um nível de pH neutro.

Elisabeth Losa-Adams, da Universidade de Vigo, Espanha, principal autora do estudo, e seus colegas escreveram no estudo publicado na revista Nature Astronomy que “A existência de argilas glauconiticas indica a presença de água líquida remanescente a longo prazo em condições de estado estável”. Isso não é nem perto de dizer que Marte já hospedou vida, mas é um sinal promissor de que o planeta foi capaz de fazê-lo.

A chave para o novo estudo se resume a um mineral chamado glauconite. Na Terra, o glauconita aparece frequentemente em leitos de sedimentos no fundo dos corpos de água, bem como em carbonatos e arenitos, de acordo com Phys.org. O que todos os três têm em comum é que eles levam longos períodos de tempo de relativa estabilidade para se formarem.

Há evidencias de que Marte tinha grandes corpos de água na superfície, e possivelmente o planeta tinha temperadas amenas para que o lago não congelasse ou evaporasse. E então, a fim de realmente formar esses depósitos de argila, esse período de tempo deve ter durado milhões de anos.

Isso não é evidência direta de que a vida existe ou já existiu em Marte, mas é de que teve uma era temperada e aquosa que durou tanto tempo que teria dado a qualquer forma de vida tempo para emergir e se proliferasse antes que o ambiente marciano se transformasse na paisagem congelada que é hoje.

Compartilhe


Inscreva-se a nossa newsletter e fique atualizado sobre noticias e novidades!


Publicado por:
Apaixonado por ciência e tecnologia além de programação é claro! Fundador do site Science Tech News.

Planetas com a massa da Terra estão à deriva na Via Láctea

Lacuna no tamanho do Exoplaneta muda com a idade

Novo estudo sugere teoria alternativa sobre a composição do Universo

Deixe uma resposta


Nome de usuário ou senha incorretos. Perdeu a senha?

Você precisa fazer o login para publicar um comentário. Não tem conta?