Skip to content

Antes de se tornar habitável à terra tinha uma atmosfera espessa e tóxica como Vênus

Antes de se tornar habitável à terra tinha uma atmosfera espessa e tóxica como Vênus
Um planeta rochoso como a Terra nasce através de um processo chamado “acreção”, no qual inicialmente pequenas partículas se agrupam sob a atração da

Um planeta rochoso como a Terra nasce através de um processo chamado “acreção”, no qual inicialmente pequenas partículas se agrupam sob a atração da gravidade para formar corpos maiores e maiores. Os corpos menores, chamados de ‘planetesimais’, parecem asteroides, depois o próximo tamanho são “embriões planetários”. Pode ter havido muitos embriões planetários no início do Sistema Solar, mas o único que ainda sobreviveu é Marte, que não é um planeta totalmente desenvolvido como o planeta Terra ou Vênus.

A próxima etapa de um embrião planetário antes de virar um planeta, são grandes colisões que liberam enormes quantidades de energia. É possível  que o último impacto na acumulação da Terra envolveu um embrião do tamanho de Marte atingindo a Terra acrescentando grande quantidade de massa e gerando nossa Lua.

O impacto teria deixado a Terra coberta por um mar global de rocha derretida chamado “oceano de magma”, o magma teria liberado hidrogênio, carbono, oxigênio e outros gases, para formar a primeira atmosfera da Terra, depois o oceano de magma baixou e esfriou.

É importante entender o que estava acontecendo com o elemento oxigênio nessa faze, porque ele controla os outros elementos que se combinam.
Com pouco oxigênio ao redor, a atmosfera teria sido rica em hidrogênio (H²),amônia (NH)) e gases de monóxido de carbono (CO). Com oxigênio abundante, seria uma combinação muito mais amistosa de gases: dióxido de carbono (CO²),vapor de água (H²O) e nitrogênio molecular (N²).

O oxigênio é a peça mais importante nos elementos, e essa é a razão real que pode diferenciar entre um planeta ser tornar habitável ou não.

A Terra primitiva esfriou o suficiente para que o vapor de água se condensasse na atmosfera, formando oceanos de água líquida como os que vemos hoje. Isso teria deixado uma atmosfera com 97% CO₂ e 3% N₂, a uma pressão total de cerca de 70 vezes a pressão atmosférica atual, o que é muito parecida com a atual atmosfera de Vênus.

Então, por que Vênus não virou um planeta como a Terra?

A resposta é que Vênus estava muito perto do Sol. Ele simplesmente nunca esfriou o suficiente para formar oceanos de água. Em vez disso, o H₂O na atmosfera permaneceu como vapor d’água e foi sendo perdido no espaço.
Portanto, embora os dois planetas tenham começado quase idênticos, a distância do Sol que os tornou diferentes. A Terra ficou mais propícia à vida, enquanto Vênus tornou-se cada vez mais inóspito.

Já imaginou se Vênus estivesse no lugar de Marte?

Inscreva-se a nossa newsletter e fique atualizado sobre noticias e novidades!


Publicado por:
Apaixonado por ciência e tecnologia além de programação é claro! Fundador do site Science Tech News.

Novo estudo sugere teoria alternativa sobre a composição do Universo

Mudanças climáticas impactam na produtividade agrícola em 21% desde a década de 1960

Cientistas descobrem evidências do impacto de um asteroide na Antártida há 430.000 anos

Deixe uma resposta


Nome de usuário ou senha incorretos. Perdeu a senha?

Você precisa fazer o login para publicar um comentário. Não tem conta?